Skip to content

Crónicas de uma miúda com aparelho #2 || Alimentação

Crónicas de uma miúda com aparelho #2

Já tenho o aparelho há pouco mais de dois meses e posso vos dizer que é impressionante acompanhar as transformações que se têm dado na minha boca. Estou mais que satisfeita de ter tomado esta decisão, mas confesso que agora, que estou no terceiro arco do aparelho auto-ligável, me está a custar imenso. Até agora tinha sido tudo bastante tolerável, mas estes primeiros dias com o terceiro arco são incrivelmente dolorosos. Ao ponto de quase não conseguir mastigar, acreditam? A minha alimentação teve de sofrer alterações.

Se nos dois primeiros arcos tinha de ter especial cuidado com os dentes da frente (que eram os que se estavam a movimentar mais), agora tenho de ter especial cuidado com todos os dentes. Os de trás estão hiper, mega sensíveis, e tenho de ser super cuidadosa com o que como, para não “estragar” o trabalho que se vai desenvolver nos próximos meses. Não quero, de todo, partir brackets, por isso continuo a abdicar das minhas torradinhas (que falta que me fazem!).

A alimentação é uma componente muito importante para nós, que temos aparelho. E se no post anterior vos disse que tenho comido quase tudo como antigamente (com as devidas exceções dos alimentos rijos, pegajosos, etc), com este novo arco tive de controlar um bocadinho mais a boca, porque de facto é difícil comer sem me magoar. Claro que conto que este sofrimento se vá dissipando ao longo dos próximos dias (é o mais provável), mas até lá, toca a sofrer.

Adoptei algumas técnicas com a comida que consumo, desde que comecei com o aparelho. É frequente comer fruta de garfo e faca, por exemplo. E tanto Kiwi que já comi à colher (e come-se muito melhor assim, diga-se de passagem) e tantas bananas que já comi às rodelinhas.

Acabaram-se os snacks pouco saudáveis. Por exemplo, já não entram bolachas neste corpinho há dois meses. Porquê? Porque são rijas, na sua maioria, e não quero correr o risco de partir alguma coisa. Iogurtes: dão imenso jeito para um lanche. Aliás, os meus pequenos almoços, lanches e snacks a meio da manhã têm sido maioritariamente o seguinte:

  1. Iogurtes e/ou leite;
  2. fruta cortada (e fruta molinha, nada de maçãs, peras, etc;
  3. Queijo suave e cortadinho (gosto imenso do da Vaca que Ri);
  4. Pão rico integral barrado com algo por cima (manteiga, normalmente);
  5. Batidos de fruta;
  6. Requeijão ou queijo fresco.

Já as refeições principais, têm sido bastante variadas. Mas, nas ocasiões em que tenho muitas dores (como é o caso agora que comecei o terceiro arco), fico-me pelas sopinhas, batidos, ovos mexidos, etc. Tudo muito soft, muito molinho. Tem de ser, para não sofrer!

Se estão a pensar colocar aparelho, não paniquem com isto da alimentação, a sério. Nós habituamo-nos a este estilo de vida, e as dores que vos falo não duram para sempre, vão mesmo se dissipando, e acabamos por nos habituar a ter o aparelho na boca. Sem stress. E fala-vos a miúda que ADORA COMER. Sou conhecida no meu trabalho por ter um buraco negro no estômago, por isso vejam só o sacrifício que estou a fazer. E ainda estou aqui, e cheia de genica para continuar o tratamento! Vai valer a pena. Quando sorrir ao espelho com o meu novo sorriso, tudo o que passei vai ser supérfluo, e vou ficar mega feliz. É assim que temos de pensar. Bola para a frente!

Se ainda não leram os outros posts sobre esta minha aventura, podem fazê-lo aqui:

Vou colocar aparelho, e agora?
Crónicas de uma miúda com aparelho #1

O meu aparelho foi colocado na Sara Correia Dental Clinic, e estou a gostar muito de ser seguida lá!

Beijinhos,
Lara ♥

Be First to Comment

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: