Skip to content

Guia para viajar – 1 – Como escolher um destino de férias?

keep-calm-e-vamos-viajar-4Boa segunda-feira pessoas giras! Há taaanto tempo que eu não fazia um post, meu deus!

Bem, tenho a dizer-vos que já não mexia há tanto tempo no meu portátil que até parece que já não sei de cor o lugar de tocas as teclas, a escrever…inacreditável. Já me mudei como devem saber, já tenho praticamente tudo arrumadinho e de momento só me falta ir trazendo aos poucos coisinhas mais secundárias que não me fazem falta no dia-a-dia. Isto de ter casa própria exige muito mais tempo de mim, por isso temo que os meus posts já não consigam ser diários (nos dias úteis), como tentava sempre, antes da mudança. Vou tentar ao máximo fazer posts regulares, já sabem, mas fica aqui um alerta meu.

Ora o post de hoje é dedicado a uma série de posts que vou fazer sobre um hobbie que muita gente – eu incluída – adora, que é VIAJAR!

Já imensa gente me tinha pedido para dar dicas de viajem, e como eu acho um tema super giro resolvi fazer alguns posts dedicados ao assunto. Neste primeiro post vou falar-vos de como é, para mim, a melhor forma de escolher um destino de férias. Nos próximos posts irem também falar-vos sobre como escolher o voo e o respectivo alojamento, técnicas de poupança durante a viagem, etc.

1. Como escolher um destino de férias?

Primeiro que tudo, têm de pensar, obviamente, que país gostavam muito de conhecer (ajuda fazer uma lista dos vossos países de eleição para visitar) e verificar, dentro dessa lista, qual deles tem um budget mais ou menos adequado à vossa carteira. Eu falo por mim, pois quando vou viajar gosto de não estar limitada e andar a contar trocos, para conseguir ver a cidade que escolhi com calma, divertir-me nas atracções disponíveis, visitar museus e monumentos famosos, experimentar a gastronomia local, etc. Claro que isto tudo depende de pessoa para pessoa e do tipo de turismo que vão fazer, por isso estou a dar-vos o meu ponto de vista.

Se pesquisarem no google por, por exemplo, “top 10 cidades mais baratas para viajar”, encontram imensos sites com listas onde descrevem o custo por dia, por pessoa, em várias cidades, e onde conseguem perceber mais ou menos quanto vão gastar. Se a cidade que querem visitar não é tão barata como gostariam (exemplo: Londres), então se calhar o melhor é começarem a planear essa viagem com bastante antecedência, para juntarem o dinheiro que acham que vão gastar durante a vossa estadia.

Outro factor a ter em conta quando procuram um destino de férias é, como já referi, o tipo de turismo que vão fazer. Querem fazer praia apenas? Querem conhecer uma cidade e a sua história? Querem fazer férias na neve? Dependendo do tipo de destino, há opções mais baratas e mais caras, consoante a vossa preferência. A minha normalmente centra-se em conhecer cidades pela sua história, cultura, etc, não sou muito de destinos paradisíacos, prefiro explorar novas cidades. Convém ter em atenção também a moeda do país que vão conhecer, para irem preparados em relação a isso. Dentro dos países da moeda única – Euro – estamos à vontade, mas, dando o exemplo de Londres, em que vigora a Libra, eu pessoalmente prefiro levantar nas ATM’s de lá as libras, do que levar dinheiro comigo. Acho perigoso andar com muito dinheiro e prefiro ir levantando nas ATM’s. Temos sempre custos associados, quer troquem euros cá em Portugal ou lá, quer levantem o dinheiro nas ATM’s, mas da minha experiência pessoal tem sempre compensado mais levantar dinheiro la. Mas para quem não tiver outra hipótese (de levar consigo cartões que sejam válidos internacionalmente), então temos de levar já dinheiro trocado connosco.

Quando escolho a cidade que quero visitar (ou até as cidades, pode acontecer), costumo ter em atenção a altura do ano em que vou fazer essa viagem. Como regra geral prefiro conhecer cidades europeias, gosto de marcar as minhas viagens em época média/baixa, para poupar algum dinheiro tanto em hoteis como em voos. Por exemplo, se decidirem ir a Londres em Abril, será muito mais barato do que se decidirem passar lá uns dias Em Julho ou Agosto, ou até mesmo Dezembro, por ser o mês do Natal.

Além de escolher os meses de época mais baixa, gosto de escolher alturas do ano em que o tempo está ameno, pois é o ideal para andar bastante a pé sem ter calor a mais ou sem apanhar imensa chuva. Novamente o exemplo de Londres: Fui lá recentemente, em Setembro, onde já apanhei o início do Outono, logo ficou mais barato, não apanhei calor algum e o frio ainda não era muito, além de que a época da chuva ainda não tinha chegado em força, logo, foi uma altura excelente para passear por lá. Outro exemplo de excelente ida em Setembro é se escolherem uma cidade de Itália, porque em finais de Setembro ainda está um calorzinho agradável para passear, e podem aproveitar para visitar praias/lagos e fazer alguma praia.

Há excepções há regra e claro que há países em que é difícil conciliar estes factores. Por exemplo, se forem a um país nórdico, vão ter de ter mais atenção por exemplo ao tempo de luz solar que têm disponível na altura do ano em que vão, tanto podem apanhar, dependendo do país, dias quase inteiros de sol, como pode o sol se pôr às 14h, por exemplo. E quando andamos a passear e a conhecer novos países, é triste ter pouca luz durante o dia.

Convém também fazer uma pesquisa no google sobre os hábitos e costumes do país que vamos visitar, pois há certos gestos ou coisas ditas por nós que para nós podem ser super banais, mas que para os oriundos do país que vamos visitar possa ser ofensivo. Convém ir preparado e fazer algum trabalho de casa.

Também é sempre bom sabermos de antemão onde fica a embaixada portuguesa no país em que vamos visitar, para que, caso nos aconteça alguma coisa, seja mais fácil de resolver a situação (exemplo: roubos).

Se viajarem dentro dos países da União Europeia, podem pedir o cartão europeu de seguro de doença, um cartão que é válido para quem viajar para um Estado-Membro da União Europeia, e também para Islândia, Listenstaina, Noruega e Suíça. Este cartão permite a uma pessoa segurada ou abrangida por um regime de proteção social de um dos 28 Estados-Membros da União Europeia, Islândia, Listenstaina, Noruega e Suíça, obter junto dos prestadores de cuidados públicos a assistência médica de que o seu estado de saúde necessitar durante a sua estada temporária em qualquer dos Estados referidos. Este cartão tem alguns condicionantes, pelo que podem ver todos os pormenores e condições ao pormenor aqui.

Resumindo, quando escolherem um destino de férias, tenham em conta pelo menos os seguintes factores:

  1. Paises/cidades que sonham conhecer;
  2. Budget para a viagem;
  3. Meteorologia do país/cidade em questão;
  4. Época do ano em que vão viajar;
  5. Actividades que pretendem fazer;
  6. Duração da luz solar;
  7. Costumes dos locais;
  8. Moeda

Espero que tenham gostado do post! Mais alguns vão chegar nos próximos tempos (claro que faseados e intercalados com outros) porque este tema dá pano para mangas! Qualquer dúvida que tenham já sabem 🙂

Beijinhos e boa semana!
Lara

One Comment

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: