Skip to content

Back!

Estou de volta! Pois é, depois de uma semaninha beeeem preenchida, com umas férias que souberam muito bem, estou de volta para vos contar tudinho!

Como se devem lembrar, estive pelo Reino Unido nesta semana que passou, em quatro cidades diferentes. Já tinha estado em Londres, Glasgow, Edimburgo e nas Highlands. Desta vez fiz um percurso diferente, e passei por Liverpool, Chester, Manchester e York. Esta viagem foi planeada no ano passado e de início era só para ser para Liverpool. Isto porquê? Não sei se já se deram conta, mas sou aficionada por música, e vou a imensos concertos. Calhou que uma das minhas bandas preferidas – Anathema – marcou um concerto muito especial na Catedral de Liverpool, e eu consegui arranjar-me por aqui para ir ao concerto. Eram esses os meus planos: ir ao concerto em Liverpool e ficar lá uns dias (pouca coisa, dois ou três no máximo) para conhecer a cidade. Entretanto, outro dos meus artistas preferidos – Steven Wilson – lembrou-se de marcar um concerto em Manchester (que fica muito perto de Liverpool) e lá foi a Lara ver o que conseguia fazer para ir também a esse concerto. A parte boa foi que estes dois concertos tiveram apenas uma semana de diferença, pelo que foi-me possível ir aos dois na mesma viagem! Assim, passei pelas quatro cidades que vos disse, e fui ver dois concertos fantásticos. Foi mesmo muito bom!

Liverpool é a cidade dos Beatles. Os moços nasceram e formaram-se lá, criando todo o fenómeno que já sabemos. Confesso que os Beatles nunca foram uma banda de eleição para mim, mas estando em Liverpool é quase impossível não resistir ao seu charme. Ao fim ao cabo, parece que não mas acabamos por conhecer todos os hits deles, mesmo sem nunca ter ligado muito. Dei por mim a passear nas ruas e a cantarolar as músicas deles. Liverpool respira Beatles. A cidade fica junto a um rio, e por isso é um bocadinho ventosa. É uma cidade calminha, com uma arquitectura bastante industrial, pessoas super simpáticas e bastante agradável para passear.

IMG_4365 IMG_4418
Museu dos Beatles

Já Manchester é mais urbana, animada e cosmopolita. O centro da cidade tem bastante animação, as ruas estão cheias de lojas giras, bibliotecas com uma arquitectura fantástica e prédios magestosos. Manchester não tem nenhum highlight assim em particular, mas sabe muito bem passear pelas ruas da cidade e absorver tudo à nossa volta. A zona junto do estádio do Manchester United (um bocadinho afastada do centro) também é engraçada, bastante moderna e assim ao estilo do Parque das Nações.

IMG_5173 Por Manchester, um bocadinho afastada do centro

Chester e York são duas cidades pequeninas, que se vêm bastante bem em apenas um dia (cada) com catedrais muito bonitas e casinhas super mimosas. Tudo super arranjadinho e cuidado, um mimo para os olhos. Achei curioso tanto uma como outra serem muito bem servidas de comércio, e ver-se sempre todos os locais cheios de gente. Em Chester encontrei uma creperia maravilhosa, gerida por americanos (pelo menos pelo sotaque parecia imenso!), de seu nome Hanky Panky Pancakes. Em York existe um Museu do Chocolate, que com muita pela minha não entrei, por achar o preço absurdo, e também o Museu dos Vikings. Ambas as cidades são de acesso fácil, através de comboio (a linha de comboios do Reino Unido é muito completa e eficiente).

Pontos gerais das quatro cidades:

Os britânicos (como eu já me tinha dado conta) parecem não saber o que é o frio; eles já estão super habituados ao tempo frio, é certo, mas à noite, com 1 ou 2 graus, ver meninas de mini-saia sem collants e de tops, sem casaco, ou só com um casaco de “cabedal” fininho, é assustador. E os meninos igual, via-se muitos de calções e t-shirt, como se não estivesse frio nenhum. Que confusão que isso me fez x)

O tempo: Já se sabe, super frio e sem sol nenhum (coisa que me fez taaanta falta, o sol!). Apanhámos o tempo quase sempre coberto de nuvens, e quando o sol aparecia um bocadinho era uma festa! York foi talvez a cidade mais solarenga; só lá estive um dia mas o sol apareceu bastante! Por outro lado, embora o Reino Unido seja conhecido por ser bastante chuvoso, posso dizer que quase não vi chuva nesta viagem, acho que tive bastante sorte 🙂

A comida: No geral os britânicos comem fritos, fritos e fritos. Muitos deles, como reparei, fazem uma refeição, por exemplo, só de batatas fritas! Não sei como é que conseguem, mas que o fazem, fazem. À hora de almoço/jantar, as ruas ficam cheias de cheiro a fritos e de carne frita/grelhada. A nossa sorte foi existirem vários restaurantes temáticos pelas cidades, por isso lá nos safámos dos fritos volta e meia.
Outra coisa estranha são os horários das refeições. As pessoas por lá às 11h e picos já estão a almoçar, e às 17h e picos já estão a jantar. Foi um bocadinho estranho relembrar esses horários, mas a meio da semana já nos estávamos a habituar a essa “rotina”. Muitos sítios fechavam as cozinhas perto das 20h, por isso tinha-se mesmo de jantar cedo.

IMG_5406Comida tradicional britânica: Pigeon Pie

O chá: Fartei-me de beber cházinho nesta viagem! E vocês sabem como eu adoro chá, por isso foi maravilhoso. Não falta pelo Reino Unido casinhas de chá, cada uma mais gira que a outra, com pastelaria muito diferente da nossa, mas deliciosa. Eram cupcakes, brownies, bolos à fatia enormes e dos mais variadíssimos recheios, panquecas e crepes, etc. Este tipo de casas está sempre cheia e por vezes era dificil arranjarmos lugar. Aliás, tudo o que seja restauração encontra-se sempre bastante concorrido, e normalmente os sítios são todos super-giros. Dava mesmo gosto estar por lá.

IMG_6189 IMG_6190
Bolo de cenoura com noz e Bolo de chocolate branco. Yummy!

Os preços…a libra está cada vez mais cara, e foi complicado não gastar muito dinheiro. Além disso, é tudo normalmente mais caro, comparando com os preços de cá. Estou a falar no geral, seja em restauração, lojas de roupa, música, etc. Ainda assim, consegui alguns bons deals, porque as promoções que eles fazem geralmente são boas. Irei fazer um post dedicado às compras que fiz nesta viagem, por isso depois vocês vão ver 😉

O sotaque! Quem é que daqui, como eu, é fã do sotaque britânico? Eu adooooro! Achei o sotaque mais carregado em Liverpool do que nas restantes cidades, mas em ambas era muito giro ouvir as pessoas falarem. Eles falam super rápido e por isso tinhamos de estar com muita atenção para perceber tudo x)

Segurança: Nunca me senti insegura nesta viagem. Vê-se a polícia na rua, as pessoas são todas cordiais e não se vê ninguém com aspecto ameaçador, regra geral. À noite, durante a semana, as ruas ficam desertas (às 20h já não se vê ninguém!!) e só se vê mais pessoas na rua, à noite, à sexta-feira e ao sábado.

Por fim, ainda reparando nos hábitos dos britânicos, em relação à moda/maquilhagem, reparei que as meninas, regra geral, maquilham-se imenso. Seja no dia-a-dia ou para sair à noite, elas carregam bastante na maquilhagem. Isto aplica-se para pessoas mais novas e mais velhas! As meninas mais novas abusam das bases, do batom e dos eyeliners, deixando o olhar bastante carregado. As senhoras mais velhas focam-se mais nas sombras, batons e também na base. Já vos tinha dito que ninguém parece ter frio para aqueles lados, pois a roupa usada é na sua maioria muito fresquinha. Também vi looks bem engraçados, e naquelas bandas o uso do chapéu está super na moda. Adorei ver algumas meninas com os ditos cujos, dava um ar super elegante e feminino! Outra peça muito usada é o casaquinho de cabedal, que fica bem com quase tudo.

Bem, o post já vai longo, por isso vou ficar-me por aqui. Espero que tenham gostado deste meu pequeno relato! Farei mais posts ainda sobre estas minhas férias, nomeadamente com algumas fotografias e comprinhas que fiz. Fiquem atentas 😉

Beijinhos,
Lara

Be First to Comment

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: